sábado, 11 de agosto de 2012

Imagino.

O vento forte bate na janela,
sinto falta do calor de teus braços.
Olho para trás e imagino como seria nós dois agora,
sussurro baixinho que você ainda vai voltar,
me enganando em lembranças,
ficando perdida... mais do que está.
O movimento das ondas é uma constante indesejada,
o barulho do naufragar me lembra que está longe
e não vai voltar.
No momento errado sinto que vou desistir,
acabar com a dor e fazer dos destroços um exemplar.
Se o tivesse aqui um sorriso seria inevitável,
o olhar prolongado e a solidão de lado.
No momento não da pra pensar.
Mas como poderia eu suportar?
Essa dor que não passa e a
nostalgia do seu olhar que vem de encontro ao meu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário