segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Hipnose.

   O que eu poderia fazer nesta noite, se ainda me pego pensando em você? Não importa quantas páginas eu passe, nenhuma história é mais interessante que o teu sorriso. Me pergunto se algum dia ainda poderei ouvir sua voz calma me dizendo do fundo do coração que me ama mais que tudo. Nunca pensei que pudesse ser devastador assim, não compreendo como ainda me mantenho de pé, seria esperança de um possível retorno teu? A esperança de olhar para esses maravilhosos olhos que tanto me encaravam? Por que mesmo que esteja de pé não consigo sentir minhas pernas e nem ver em qual direção elas tanto cambaleiam. E várias vezes me encontro parada como uma estátua, em uma forma de transe estranha onde viajo pra longe facilmente e esqueço de tudo ao meu redor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário