sábado, 13 de outubro de 2012

End.

"   E o anjo despencou diretamente para a escuridão, seu lado doce que ninguém chegou a conheceu estava agora voando e enfeitando o céu... Uma luz tão linda e radiante se apagando apenas por ter perdido o coração, a alma e aquele brilho tão magnifico nos olhos. Desta vez, sem asas, sem ninguém para ampará-la despencava como uma fruta podre, agora não passava de um borrão preto embaçando o azul púrpuro do céu. E o desabar chegou leve como uma pena e a dor como a de uma supernova sendo esmagada por um buraco negro. É fácil chegar ao fim, conseguir uma saída penosa deste para o outro mundo..."

Nenhum comentário:

Postar um comentário