domingo, 23 de dezembro de 2012

Reflita

 É difícil ser entendida, eu me sinto bem por ser diferente, eu consigo ser eu mesma, estar de bem comigo. Tenho minhas opiniões e tento sempre viver do meu jeito, meus limites e é libertador, mesmo que eu me sinta só e pareça realmente estar. Nosso conhecimento só é encontrado quando buscamos por nós mesmos e essa é uma missão pra ser feita sozinha. As pessoas não entendem porque não é a busca deles, é a sua. E você está no caminho certo, cada vez mais perto de seus sonhos, de você.. Minha mente está menos fechada, estou me acostumando com o mundo e não me cegando com ilusões e mentiras, um bom livro já me satisfaz nesse quesito. A busca que procuro não se limita apenas na minha existência, mas na vasta existência do universo, comparado a ele minha vida não passa de nada. Porque perder tempo com ódio, rancor e discriminação se nada disso importa? Eu vou morrer amanhã, você morrerá amanhã, eu prefiro perder meu tempo entendendo mais sobre o mundo do que viver futilidades. A vida é curta pra viver com tanto desprezo e sofrimento opcional, seja você enquanto ainda pode e não se sentirá apenas mais um corpo velho jogado nesse mundo.

3 comentários:

  1. Interessante seu ponto de vista, realmente as pessoas deveriam se apegar mais naquilo que realmente importa ao invés de se preocuparem com "futilidades". Usei a expressão entre aspas porque acho que mesmo se tratando de de coisas relativamente insignificantes acredito que sem o ódio, o rancor, ou qualquer sentimento estranho que sentimos, não teríamos mais motivos para continuar neste Mundo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro que teríamos motivos de continuar no mundo, jogar fora os sentimentos ruins e propositais abre espaços para sentimentos mais puros e concretos. Temos de continuar no mundo nos apegando naquilo que nos faz bem e nos influência a crescer. Ódio, rancor, hostilidade ou até mesmo a indiferença não ajuda em nada.

      Excluir
    2. Não sei não...acho que se fosse tudo lindo e maravilhoso, poderia ser muito monótono também...acho que um pouco de "raiva" também faz bem para o ser humano...rsrsrs

      Excluir