domingo, 24 de março de 2013

Saudades e afins

  Se a saudade pudesse falar, falaria das dores pela manhã e deduraria as lágrimas que molham o cobertor. Quanto tempo ainda terei de esperar para que essa possa recuperar a voz e te trazer de volta aos meus braços? Para que ela possa gritar dentro de ti e sair dessa permanência silenciosa que tanto me aflita?
  Se a saudade pudesse falar, contaria os descasos que tenho vivido, os sorrisos que andei fingindo e os abraços que no embaraço cansei de esperar. Me pergunto com pouca esperança até quando isso tudo vai durar, se ela se antecipa antes mesmo de você partir.
  Ahh, mas se a saudade falasse deixaria de existir, porque a dor que carrego no peito, os dias de solidão e os momentos por qual te chamo você iria sentir de tal forma que nunca mais sairia do meu lado.

sábado, 9 de março de 2013

Cadê você?

O tempo passa tão depressa e ainda assim preciso da sua presença.
Apenas quero segurar tuas mãos e te chamar de meu.
Olhar teus olhos mais belos que qualquer amanhecer
E sentir esse sorriso gostoso que carrega nos lábios
vindo de encontro ao meu.