sábado, 16 de novembro de 2013

En- endu- endurec - endurecer


O robô que hoje sou
ontem foi gente
ontem foi criança
ontem chorou.
A lata velha que me formou
ontem foi carne
ontem foi sangue
  A ferrugem que me corrói
ontem foi mentira
O buraco no peito
ontem foi você
ontem foi...
                Hoje é dor.

Antes de dormir...

 Ana disse baixinho pra ninguém mais no quarto ouvir:
    - Não sei o que faço, Rebecca, eu não sinto meu coração palpitar e depois de um tempo estou me sentindo uma pedra de gelo. Estou tão insegura, acredito que não irá dar certo de novo! Já é minha terceira tentativa de encontrar o amor perfeito e todas em vão, será que vou ser feliz? Sinto que estou perdendo mais está batalha... Perdendo ele.
 Deu um leve beijo na fotografia onde estava Rebecca e colocou-a debaixo do travesseiro, onde estaria segura.
    - Dê um beijinho na mamãe por mim, boa noite.
 Olhou ao redor e todos continuavam dormindo, fora uma festa do pijama tranquila, de longe pode ver Amélia babando no travesseiro. Sorriu. Agradeceu por estar viva.

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Seguindo em frente.


 Eu cresci e senti o mundo aos meus pés.
Agora estou pronta para seguir em frente.
Tão forte e invencível, lá vou eu.
 Quando o sol brilhar o meu caminho estará iluminado.
E eu saberei por onde ir,
seguirei em frente até não poder mais caminhar.
 Eu vou voar, então eu vou voar e alcançar o imaginável.
Fecho os meus olhos e estou tão distante,
sinto o vento me levar por entre as montanhas.
Num piscar aprendo tanto,
passo a ver o mundo de um novo ângulo.