domingo, 7 de dezembro de 2014

Tempestade

Quando o vento forte tocar sua pele e fizer com que se arrepie, lembre-se da noite fria em que me deixou. A chuva caia e se misturava por entre as lágrimas, o céu assemelhava-se a ondas gigantes, relâmpagos iluminavam o meu rosto. E apesar dos estrondos meus soluços podiam ser ouvidos ecoando na escuridão. Você só disse adeus, seco, sequer olhou para trás, para o desastre que criara.

domingo, 26 de outubro de 2014

Transbordando.

It's raining in my heart...

Nossa música...

   Antes do inesperado ocorrer lembrei do teu sorriso. A música que pairava em meus ouvidos me trouxe o carinho que senti uma vez ao lado teu. Decidi apresentá-la à você, mas não tive tempo...
  Agora quando a ouço as lágrimas gentilmente deslizam por minha face. Recordo-me da primeira música a qual me apresentou, dessa mesma banda, você sempre estava feliz ao ouvi-la e até mesmo dançava.
  Você se lembra? Costumava ser tão simples, apenas você, apenas seu olhar... o que ouve conosco? Quando começamos a sair do ritmo? Você sabe?

domingo, 12 de outubro de 2014

Dark

Você consegue ver o sol nascendo?
Tudo que vejo é escuridão.
Céus, July! Você está cega.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Acalma minh'alma

Não importa quanto tempo passe, sempre irei buscar conforto em sua voz, por isso, nunca se cale.

Nublado

 Uma manhã tão maravilhosa, o vento tão revigorante. Me senti viva. Tive orgulho de estar viva. Os pingos frios de chuva chocaram-se com minha pele, respirei fundo e absorvi toda a vida que emanava ao meu redor. Um céu nublado. Como num passe de mágica tudo se tornou escuro. Me senti vazia. Me senti um nada. Tive medo de me sentir viva, tive medo por estar vazia.

Liberte-me.

Eu quero ser rasgada em pedacinhos
então venha e me estraçalhe
acabe de vez com o que restou
Destrua esse coração 
e não o deixe mais sentir dor
Meu castigo será nunca mais experimentar,
um toque seu, o seu calor
qualquer que seja, ódio, amor e dor
Leve-os.
Acabe de vez com o que restou
Arranque com suas mãos
Liberte-me.

Vá!

Eu não quero, então porque continuo sofrendo?
Alguém arranque meu coração
eu não o quero
tire-o de mim
não suporto
Não quero seguir essa agonia
Saia!
Pode sair.
Você não pertence a mim.

domingo, 28 de setembro de 2014

Seus olhos

  Por um segundo fitei seus olhos e senti meu coração desesperadamente saltando. "Mas que diabos." Pensei comigo. Como posso me levar por olhos tão pequenos, nem sequer tenho sua atenção. Não sei se estou congelada ou derretendo por você. Apenas me liberte.

sábado, 27 de setembro de 2014

Não venha.

Não venha
Deixe-me chorar,
cair e me perder,
mas não venha.
Os teus braços
não são meus,
Não os envolva
à minha alma.
Não venha
Se for somente pena
não me proteja,
quando eu desaparecer
Não se preocupe
Apenas não venha.

Vazio

O vento sopra em meus cabelos, se é gelado, não sei dizer, se aquece, não o sinto.
As gotas agora molham o meu rosto.
O céu escureceu, posso ver, meus óculos estão embaçados, seria a chuva ou as lágrimas?
Mas por quê choro?
O vazio é pesado, prende meus pés ao chão.
As lágrimas me dão leveza e então posso caminhar.
Cada passo, uma lágrima.
Salgado, o gosto consigo sentir, mas seria estas frias ou calorosas?
Mesmo que escorra por minha face, não posso sentir.

As respostas...

Se tenho todas as respostas como ainda pode haver tanto vazio? Tantas dúvidas? Não tenho coração? Não tenho empatia? Como é isso, quem poderia dizer? Estou cansada de ser um boneco oco, eu quero sentir, quero simplesmente me aquecer, quem roubou a chama? Como cheguei nesse inverno?

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Um amigo?

E quando eu quero sorrisos ao meu redor, é para que eu possa sorrir também. Eu quero amigos e não colegas.

Peguei você

Finalmente consegui trazê-lo de volta para os meus braços. Nunca mais o deixarei ir.

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Longo caminho

Venha comigo, assim não precisaremos
continuar a correr por caminhos distintos
Me dê sua mão e vamos voltar juntos
Estive esperando que seus passos
alcançasse os meus.
Agora não tem porque ter pressa
vamos caminhar lentamente
em uma nova direção.

Tão distante te vejo

O vento sopra gelado
Faz meus olhos se encherem
Por mais que eu tente
nunca irei alcançar você.

Sorria, apenas isso.


Ouço o seu choro e me pergunto, o que poderia fazer? 
Como fazê-lo parar?
Me dê um motivo pra não ir junto
Nesse abismo em que se jogou
Como não pular e segurar você?
Deixe me ir contigo.
Assim poderemos sorrir novamente.

Ela vai pegá-lo.

Em passos mais rápidos
A escuridão vem pegar você
Corra enquanto pode
Ela vai pegá-lo
Fuja enquanto não é estraçalhado
Seu medo não é da morte
É da sua vida vazia
Não olhe para trás.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

O dilema meu de cada dia

  Tentei de milhares de formas tirar você da minha mente, mas como uma praga você se alastrou para uma parte tão profunda, se eu arrancá-lo uma parte minha será completamente danificada, foi por isso que não pude deixá-lo ir. Por isso mesmo quando te disse adeus, e era um adeus definitivo não pude fazê-lo, te excluir me mataria. No momento em que respondeu "É isso?" Queria desesperadamente dizer que não. Que se dissesse "Volta comigo" não pensaria nem meio segundo se quer e estaria aos seus pés como um cachorrinho pronta pra recebê-lo de volta.
  Com apenas duas palavras sua eu destruiria uma vida.. Nesse exato momento me dei conta de que não existia mais amor próprio dentro de mim, um ser tão insignificante como um vidro quebrado.
  Como é possível que eu me reestruture? Não acredito nessa mudança. Como alguém pode se amar se não vê motivos em fazê-lo? Tantas duvidas e nenhuma resposta!
  Um dilema tão complexo que não consigo desvendar, minha própria história correndo em círculos.
        Um dia irei me libertar?

Eu estava errada sobre o mundo,

apesar de sermos uma poeierinha nós respiramos e sobrevivemos apenas para morrer e voltar a vida primitiva de onde surgimos.
  Eu sempre quis ser alguém pra ser lembrada, por meu apoio e principalmente por meus textos, eles me dão muito orgulho.
  Eu não entendo os seres humanos, mas eles estão sempre buscando por algo, amor, aceitação, sucesso, dinheiro, paz. Mas tem algo que sempre encontra todos nós, solidão. Porque não importa quantos amigos ou parentes temos, cada um vive sua vida, cada um vive sua própria solidão.

Seu sorriso.

  Coração que anseia em meio a multidão pelo sorriso espalhafatoso que você sem querer deixou escapar, suficiente meigo para aquecer as profundezas do meu ser. Sorria novamente para que meus olhos se alegrem!

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Como?

  Como no mundo pode-se viver, quando passamos a nos preocupar somente em não morrer?
  Pensamos tanto na morte que esquecemos de simplesmente viver.

Meu fantasma

  Um milhão de vozes, um milhão de palavras ditas. Quando era necessário apenas uma voz, apenas suas palavras. Você é o resumo da minha essência. A razão em me manter forte. Você, um fantasma criado por mim, elaborado para ser perfeito, a ilusão mais amarga para que uma pequena garota não deixe de ser doce.

domingo, 23 de março de 2014

Um sonho alcançável!

Numa noite fria sonhei
com os mais lindos pássaros
Porém eles não tinham asas,
Mas nada os impediam de cantar
Acompanhei seu canto sereno
Até o outro lado do mar.
Como chegaram até aqui?
O perguntei sem imaginar
"Um dia tivemos asas" berrou
O pequenino, e podíamos voar.
Mas de nada adiantava
Por ai viver só a vagar
Queríamos uma morada e
fizemos de nossa casa
esse lado do mar.
Você não precisa ir longe,
Basta saber até onde quer chegar...

quarta-feira, 19 de março de 2014

Surpresa!!

 Considerando seu cansaço Julia não sabia se tomava banho ou se caia na cama. Fora um dia difícil e cansativo. Pegou seu caderno velho de rascunho e pensou em escrever uma carta para seu namorado, algo inesperado e romântico, faria uma surpresa.

     "Oiii, amor.
 Você deve estar lendo essa carta e imaginando o que poderia ter acontecido pra te escrever, sei que não sou muito romântica, mas vou me esforçar. Confesso que são meia noite e treze, do dia 15 junho, pois é, o dia dos namorados já passou, mas ainda assim senti a necessidade de te escrever.
 Acabei de chegar de uma sessão de filme com as meninas, no caminho de casa viemos cantando e foi aí que peguei inspiração pra escrever. Você sabe que amo cantar (mesmo não fazendo isso bem), senti que estava dizendo "eu te amo" em cada uma das palavras da musica, foi encantador, adoraria que estivesse presente para ouvir. Por isso resolvi te escrever, assim você pode pegar esse papel, ler e sentir o quanto você é essencial na minha vida, quero que sinta como se eu o abraçasse em cada linha, pois meus sentimentos estão aqui, apenas alguns centímetros dos seus olhos.
   Você me faz um bem inexplicável, eu consigo me amar cada vez mais e com isso me tornar uma pessoa melhor para continuar amando você e lutando por esse relacionamento a distância.
 Tive uma decisão hoje, prometo dar o  meu melhor, principalmente por nós dois. E essa carta é para que sempre possa me cobrar, ok? Mentira. A carta é para que você possa ler sempre as palavras que não posso te dizer todos os dias... Eu te amo muito, querido."

  Uma semana depois Antonio chegou em casa e foi surpreendido pela mãe logo na entrada, "chegou correspondência" dona Ana disse com cara de brava, "é dela". Depois de um longo suspiro Antonio pegou a carta e subiu os degraus até seu quarto, trancou a porta e sentou-se na cama.
 Antes de abrir colocou a correspondência próxima ao seu nariz, pode sentir o doce perfume da Julia, fechou os olhos e por uns instantes pode sentir ela do seu lado. Estremeceu e no espanto abriu os olhos. Era tarde. Deitou na cama e começou a chorar, nunca mais veria Julia de novo, ela deixara isso bem claro no telefone. Suas palavras ficariam ecoando em sua cabeça pra sempre. "Como você pode dormir com ela? Como... Depois de tudo eu.. eu pensei que seria diferente. Eu.. eu te odeio Antonio, nunca vou te perdoar. Desapareça.". "Eu te odeio" Antonio sorria, "Eu te odeio" o sorriso se perdeu em soluços e nem se quisesse ler a carta conseguiria, seus olhos estavam quentes, os soluços falhados. Antonio se sentiu a pessoa mais insignificante do mundo e talvez fosse. "Surpresa" sussurrou baixinho.