domingo, 7 de dezembro de 2014

Tempestade

Quando o vento forte tocar sua pele e fizer com que se arrepie, lembre-se da noite fria em que me deixou. A chuva caia e se misturava por entre as lágrimas, o céu assemelhava-se a ondas gigantes, relâmpagos iluminavam o meu rosto. E apesar dos estrondos meus soluços podiam ser ouvidos ecoando na escuridão. Você só disse adeus, seco, sequer olhou para trás, para o desastre que criara.